SP - São Paulo
[x] Você está vendo animais de SP - São Paulo, clique para alterar a cidade.

Encontre um Animal

 
 
 
 
 
*Nome do animal, da ONG ou digite "Vários".
Receba nossos comunicados:
 
Seu-email:

Noticia

« voltar para o blog
 
4 sinais de que seu cachorro pode estar com demência.
10/05/2018 - 11:04h

Desorientação, mudanças bruscas de reações, pouca energia, movimentos repetitivos e xixi no lugar errado podem ser sinais de demência nos cães.

A demência é uma condição que afeta pessoas idosas e que também pode afetar os cachorros de mais idade. Este problema de saúde prejudica a memória, a comunicação, a essência, o discernimento e outros pontos nos homens e nos animais.

Além de os sintomas serem sutis e aparecerem gradualmente, em relação aos cães é ainda mais difícil identificar, já que eles não conseguem nos dizer se está acontecendo algo diferente com eles.

Se o seu animalzinho está envelhecendo, além de ficar atento a mudanças de comportamento, de rotina, aparência física ou apetite, é importante prestar bastante atenção a alguns sinais que podem indicar demência, como:

1 – Desorientação:


(Foto: Reprodução / Pinterest)

Nos humanos, a desorientação é um sinal muito comum de demência e os animais também podem apresentar isso. Se o cachorro está parecendo perdido dentro de casa e não consegue encontrar a localização de coisas do seu dia a dia, como vasilha de água e comida, é importante ficar mais atento.

Um cachorro com demência acaba entrando em espaços que, antes, sabia que não cabia, como atrás de algum móvel, e também podem ficar olhando fixamente para uma parede.

Além disso, a desorientação pode acabar afetando o sono dos animais. Eles podem deixar de perceber que está na hora de dormir e reverter seus horários. A condição também pode fazer com que um cachorro que dormia de forma tranquila fique subitamente inquieto, ativo e instável durante a noite.

2 – Reações diferentes:

(Foto: Reprodução / Instagram @my_hero_mace)

Mudanças bruscas e repentinas na forma de interagir do animal ou nas reações que ele tinha a certas coisas também podem significar demência e pedem bastante atenção, pois um animal que era bastante amistoso pode acabar se tornando agressivo, por medo ou simplesmente por esquecimento.

Os cachorros com demência podem se esquecer, mesmo que momentaneamente, os relacionamentos que tiveram com suas pessoas favoritas e até o seu petisquinho favorito. Por exemplo, cães que amavam brincar com crianças podem ficar irritados com os pequenos.

Animais com essa condição podem perder o interesse em coisas que antes os deixavam muito animados, como o convite para um passeio ou seu tutor chegando em casa.

Porém, é preciso ficar atento se essas mudanças são realmente causadas pela demência, por algum tipo de dor ou outra condição.

3 – Xixi no lugar errado:

(Foto: Reprodução / Bark Post)

No caso de cachorros que sempre fazem suas necessidades no fora de casa ou sempre em um mesmo local específico, fazer xixi no lugar errado pode significar muitos problemas de saúde, como infecção da bexiga, problemas nos rins ou diabetes e também a demência.

Além da desorientação, que pode fazer com que os cães não encontrem o lugar certo de fazer xixi, a demência também pode afetar a capacidade que eles têm de controlar suas funções corporais.

Os cachorros com demência podem acabar não percebendo que está com vontade de fazer xixi, não conseguir mais avisar seus tutores que precisa ir para o lado de fora ou até mesmo perder o entendimento sobre o local correto de fazer suas necessidades.

4 – Queda de energia:

A queda, ou diminuição, da quantidade de energia que um cachorro costumava ter também pode ser sinal de vários problemas, incluindo a demência.

(Foto: Reprodução / My Animals)

A queda de energia em cães idosos pode ser normal, mas a falta de energia acompanhada de falta de interesse e de curiosidade pode indicar problemas cognitivos.

Cães com demência podem se mostrar desinteressados em atividades que antes o agradavam, como brincar e farejar a grama, e apresentar movimentos repetitivos, como andar em círculos ou balançar a cabeça muitas vezes da mesma forma.

Em qualquer uma dessas situações, é de extrema importância que o animal seja levado para uma consulta com um médico veterinário, para que exames específicos sejam feitos e, caso a demência seja comprovada, o cão receba o tratamento correto e mais indicado.


 
Fonte: http://portaldodog.com.br